O Flat Design, a morte e o retorno do Skeumorfismo

Você provavelmente nunca ouviu falar sobre o termo Skeumorfismo, mas ele está presente na sua rotina.

Vamos brincar de usar termos de design? Em 2012 a Microsoft, abandonou o Skeumorfismo com o Windows 8. Em 2013, a Apple deixou de usar o design skeumórfico com o iOS7, o que levou a revista Forbes a anunciar a morte do Skeumorfismo. Desde então, se tornou algo comum ouvir sobre o desuso desse estilo de design e, mais comum ainda, ouvir sobre o reino do tal Flat Design.

Mas o que é design skeumórfico?

O Skeumorfismo é nada mais do que uma tentativa de imitar a realidade dentro do digital. Nas interfaces de smartphones e em sites, o Skeumorfismo era bastante usado como uma tentativa de criar objetos 3-D em uma superfície 2-D. Por exemplo, o ícone de ligação era representado por uma imitação de um telefone. Outro exemplo clássico é o ícone da lixeira.  Todos reconhecemos instintivamente como o lugar onde devemos jogar tudo o que não queremos no nosso computador.

O Skeumorfismo foi muito usado como uma muleta na curva de aprendizado para gerações anteriores. Era muito mais familiar para o usuário que não estava acostumado a smartphones e interfaces digitais por ter uma associação direta aos objetos físicos. Com o tempo e o abuso do estilo skeumórfico, algumas práticas se tornaram inviáveis no meio digital. Como resposta, surgiu o Flat Design. Esse conceito tinha a proposta de remover todos os efeitos considerados inúteis e trazer as interfaces a algo minimalista e funcional. O Flat Design tinha uma aparência mais moderna, fazia melhor uso dos espaços, tinha melhor leitura, era mais responsivo e muito mais rápido de carregar.

Google, relógios inteligentes e o retorno do Skeumorfismo

Em 2014, a Google lançou um design imaginário chamado “material” baseado na realidade tátil. Inspirado no estudo de papel e tinta, foi criada uma série de regras sobre como ele deveria ser usado. Por ser baseado na realidade, ele pode ser chamado de skeumórfico. Mas como utiliza design inteligente e tem uso limitado de animações e sombras, também se encaixa no mundo do Flat Design. Talvez o “material design” tenha criado uma ponte entre Skeumorfismo e Flat Design, trazendo as partes boas de cada um dos estilos em um novo conceito.

Para ajudar mais um pouco o retorno do Skeumorfismo, os relógios inteligentes apareceram. Aqui, o Skeumorfismo foi utilizado para imitar a experiência dos relógios analógicos. Unem-se o real e o digital, convencendo os usuários a dar uma chance a esse objeto que no começo foi olhado com total desdém.

O que tirar desse texto?

Não devemos anunciar a morte de um estilo. Tendências de design vem e vão. Tim Worstall, que escreveu o artigo da Forbes dizendo que era hora do Skeumorfismo morrer, foi apressado demais. Embora todos os estilos tenham sua época de dominância, a perda da mesma não os tornam inúteis. Tanto o Flat Design, quanto o Skeumorfismo têm suas vantagens que continuarão a ser exploradas por anos e anos.

Se você gostou desse artigo, compartilhe com seus amigos. E se você pretende colocar em prática tudo o que viu aqui para o seu negócio, conte com a nossa equipe para te ajudar. Conheça aqui os serviços da Conteúdo.Freela.

Fontes

WebFrame
IFD Comunicação
Daring Fireball
UX Collective Brasil
99 Designs
Envato
Forbes
TechTarget
Medium

 

Pedro Nolasco

Pedro Nolasco

Pedro Nolasco é experiente em dirigir e participar da criação de projetos relacionados a comunicação e a arte. Apaixonado pelo mundo de soluções gráficas, está em constante busca por crescimento profissional e inovação em seus projetos. É formado em Design Gráfico pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo.

Quer falar sobre seu negócio? Entre em contato!